Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Troncos de árvores viram bancos e mesas para espaço de convivência dos estudantes

Notícias

Troncos de árvores viram bancos e mesas para espaço de convivência dos estudantes

SUSTENTABILIDADE

O material é fruto de supressão de vegetação realizada na unidade.
por Lúcia Gomes publicado: 21/02/2019 10h46 última modificação: 21/02/2019 10h52

Na última quarta-feira, 20, o Campus Paraíso do Tocantins do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) ganhou novos mobiliários em um de seus espaços de convivência. São mesas e bancos feitos a partir do aproveitamento de troncos de árvores, que precisaram ser cortadas na unidade no final do ano passado.

Conforme explica a professora e engenheira ambiental, Liliane Garcia, uma das responsáveis pela ação, o corte dessas árvores foi feita de forma controlada. Ao todo, 24 espécies de árvores foram removidas para ampliação da área de pastagem da unidade. Essa remoção é chamada de supressão de vegetação, que consiste na retirada de parte da vegetação em determinada área de um imóvel que necessita ser utilizada para usos diversos, tais como plantio, construções de edificações, entre outros.

Liliane frisou ainda que a ação obedeceu a legislação ambiental, por intermédio de licença concedida pelo Instituto de Natureza do Tocantins (Naturatins), atendendo a uma série de critérios que regulam a supressão de espécies nativas do cerrado e exóticas, como foi o caso da área afetada no Campus Paraíso. Durante esse processo, os trabalhos foram supervisionados por comissão administrativa, a qual orientou o manejo e o aproveitamento do material lenhoso.

A professora fez questão de destacar as diferenças entre supressão e desmatamento. Segundo ela, o desmatamento é uma prática criminosa que infringe a legislação, ocorre sem as devidas autorizações, sem o acompanhamento e sem a preocupação do manejo do material que é um recurso natural e pode apresentar potencial econômico. Já a supressão, é uma intervenção controlada e autorizada pelos órgão de fiscalização.

O cumprimento da legislação e o manejo florestal ambientalmente correto demonstram que o Campus Paraíso tem coerência entre o que é ensinado aos estudantes do curso técnico em Meio Ambiente e a prática que resulta no equilíbrio da produção com desenvolvimento sustentável”, destacou a professora Liliane.

A retirada das árvores e a produção dos bancos e mesas foram realizadas pela equipe de colaboradores terceirizados da Fênix Produtos e Serviços. Os troncos e galhas das que não puderam ser utilizados como mobiliário foram aproveitados na confecção de estacas para produção de mudas, cercas e lenha para as festividades da instituição.