Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Servidores do Campus Avançado Formoso do Araguaia participam de pesquisa na Ilha do Bananal

Notícias

Servidores do Campus Avançado Formoso do Araguaia participam de pesquisa na Ilha do Bananal

Extensão

A visita teve como fim desenvolver mais uma etapa de pesquisas em comunidades indígenas
publicado: 08/08/2016 00h00 última modificação: 19/07/2017 10h03
Colaboradores: Guilherme Paganotto

A fim de realizar mais uma etapa das pesquisas que envolvem as comunidades indígenas da Ilha do Bananal, na região sudoeste do Estado, professores e técnicos administrativos do Campus Avançado Formoso do Araguaia, do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), realizaram, no último domingo, 7, uma visita à aldeia Canoanã, um dos grupos indígenas presentes nas aldeias da ilha.

 

Segundo o diretor da unidade, Dêmis Carlos, durante o mês de agosto, os profissionais estão elaborando as pesquisas de demandas para a apresentação de propostas de cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) que serão ofertados neste segundo semestre letivo do ano. “A visita busca mais informações de quais cursos contemplam a realidade dos povos indígenas da maior ilha fluvial do mundo”, destacou.

 

A professora Carla Bastos, mestre em Ciências do Solo e Nutrição de Plantas pela Universidade de São Paulo (USP) e recém-empossada no campus, fez parte da comitiva e achou salutar a parceria que está sendo amadurecida entre o Instituto e as comunidades indígenas. “A parceria é muito importante para que a instituição possa alcançar sua missão de contemplar os arranjos produtivos locais em seus cursos de educação profissional”, ressaltou.

 

A ação contou ainda com a participação das técnicas Érica Feitosa e Gerlany Silva, que auxiliam nos processos do campus; da professora Márcia Moreira, líder do grupo de pesquisa; e teve como guia o vigilante Jovaci Lima, colaborador da unidade. A ação buscou reafirmar a conquista de conhecer, dialogar e conviver com os povos indígenas, para ampliar a conexão entre instituição de ensino profissionalizante e comunidade indígena da Ilha do Bananal.