Você está aqui: Página Inicial > Notícias > IFTO realiza Encontro Inovação, Ideias e Negócios na Academia

Notícias

IFTO realiza Encontro Inovação, Ideias e Negócios na Academia

Pesquisa

O evento acontecerá nos dias 29 a 30 de setembro, no auditório da reitoria do IFTO.
publicado: 25/08/2016 00h00 última modificação: 06/07/2017 11h52
Colaboradores: Erica Regina Ferreira

Com o objetivo de fomentar a aproximação do Instituto Federal do Tocantins (IFTO) dos setores produtivos a fim de contribuir para o desenvolvimento regional, a Pró-reitoria de Pesquisa e Inovação (Propi) em conjunto com o Comitê de Ética em Pesquisa promovem o Encontro Inovação, ideias e negócios na academia. O evento acontecerá nos dias 29 a 30 de setembro, no auditório da reitoria do IFTO.

 

O encontro vai reunir quatro eventos importantes: o II Workshop de Pesquisa Empreendedora; o II Seminário de Inovação; o II Workshop de Pós-graduação; e o I Workshop Ética em Pesquisa. O público-alvo são professores, pesquisadores e alunos dos diversos campi do IFTO, representantes dos setores produtivos locais e membros de Comitês de Ética em Pesquisa. Na programação, que ainda será fechada, estão previstas a realização de oficinas, palestras e mesas-redondas.

 

Os objetivos do evento são ensinar como realizar a transferência de conhecimentos em tecnologia da academia para o setor produtivo; estreitar as relações do IFTO com os setores produtivos do Tocantins; além de orientar como as pesquisas e os projetos científicos podem se tornar negócios lucrativos para o pesquisador e para a região.

 

A diretora de Pós-graduação, Erna Denzin, destacou os principais aspectos do encontro. “Queremos que a atuação das pesquisas realizadas no Instituto sejam direcionadas ao setor produtivo, ao desenvolvimento regional, à inovação e às tecnologias. Nossos professores, pesquisadores e alunos devem saber que podem atuar e contribuir com as empresas, assim como as empresas devem saber que podem buscar a academia para o atendimento de demandas locais. Além disso, os projetos de iniciação científica podem ser transformados em novos negócios com registro de propriedade intelectual para o professor, para o IFTO, e para a região”, disse.