Você está aqui: Página Inicial > Notícias > IFTO elabora proposta de curso superior de Tecnologia em Gestão Pública na modalidade EaD

Notícias

IFTO elabora proposta de curso superior de Tecnologia em Gestão Pública na modalidade EaD

Ensino a Distância

O curso atenderá principalmente a população do interior do Estado, que não tem condições de se deslocar para a capital.
publicado: 16/09/2016 00h00 última modificação: 19/10/2016 17h03
Colaboradores: Erica Regina Ferreira
Profissionais do IFTO reunidos para discutir construção do PPC do curso de Tecnologia em Gestão Pública, na modalidade EaD.

Profissionais do IFTO reunidos para discutir construção do PPC do curso de Tecnologia em Gestão Pública, na modalidade EaD.

Estiveram reunidos, nesta quinta-feira, 15, na reitoria do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), o diretor de Educação a Distância, Madson Teles; o coordenador geral da Rede e-Tec Brasil, Wilson Barbosa; os professores Robleik Luiz, Antônio Toledo, e Gleisy Alencar, do Campus Palmas, com o objetivo de discutir detalhes da construção do Projeto Pedagógico do Curso (PPC) superior de Tecnologia em Gestão Pública, na modalidade de ensino a distância (EaD).

 

Segundo a equipe de profissionais do IFTO responsáveis pela elaboração do PPC, o curso possibilitará ao Instituto avançar na sua missão de democratizar e interiorizar o acesso ao ensino, bem como ampliar o alcance das ações na modalidade EaD, no sentido de abrir novos cursos em nível superior.

 

De acordo com Wilson, o curso atenderá principalmente a população do interior do Estado, que não tem condições de se deslocar para a capital. Na grade curricular, a proposta é que 80% do conteúdo seja ministrado na plataforma virtual Moodle, necessitando apenas de um encontro presencial mensal, e dessa forma, o estudante gastará o mínimo possível com viagens e hospedagens durante a sua graduação.

 

O curso superior de Tecnologia em Gestão Pública foi escolhido em razão de um levantamento feito acerca das demandas no campo de atuação do profissional gestor, de modo a agregar valor à iniciativa privada e melhorar o atendimento ao cidadão. Segundo Madson, a expectativa é que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) avalie o curso em 2017, e assim os profissionais formados poderão seguir para o mercado de trabalho e ocupar diferentes cargos, como servidor público de carreira, assistente administrativo, assistente legislativo, assessor parlamentar, gestor de finanças públicas, assessor financeiro, auditor público, assessor no setor público, analista de planejamento e orçamento.